Emanoel Araujo

Bahia, 1940

Biografia

Emanoel Alves de Araújo é um escultor, desenhista, ilustrador, figurinista, gravador, cenógrafo, curador e museólogo brasileiro, nascido em Santo Amaro da Purificação, na Bahia, em 1940. Em suas obras, busca inspiração em suas raízes (Emanoel é descendente de uma terceira geração de grandes ourives), em sua cidade natal, um cenário com belezas naturais, típicamente baiano e em suas ideias de representar o mundo a fora, seja sobre o passado ou sobre o presente como a escravidão, a perda da terra para os colonizadores, a presença africana na cultura brasileira e outros tantos fatores.

Na década de 1960, mudou-se para Salvador, com intenções de estudar Arquitetura, porém ingressou na Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia (UFBA) - logo após realizar sua primeira exposição individual, em 1959 - onde estudou gravura com Henrique Oswald.

Criou e dirigiu o Museu de Arte da Bahia (MAB), entre 1981 e 1983, além de expor individualmente no Museu de Arte de São Paulo (MASP). Foi convidado, em 1988, a lecionar artes gráficas e escultura no Arts College, na The City University of New York. Exerceu o cargo de diretor da Pinacoteca do Estado de São Paulo, de 1992 a 2002 e foi responsável por sua revitalização. A partir de 2004, é curador e diretor do Museu Afro-Brasil, com obras de sua coleção e em 2005 exerceu o cargo de Secretário Municipal da Cultura.

Em 2007, foi homenageado pelo Instituto Tomie Ohtake com a exposição "Autobiografia do Gesto", a qual reuniu obras de 45 anos de sua carreira.

Prêmios:
Medalha de Ouro, na 3ª Bienal Gráfica de Florença, Itália (1972)
Melhor Gravador, pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) (1973)
Melhor Escultor, pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) (1983)
 

Emanoel Araujo

Capa